11 de dezembro de 2017

Porque uma pequena ou média em empresa deve investir em governança de TI

Quando lemos o termo governança de TI, parece ser mais um daqueles temas complexos, cheio de regras e burocracias que só grandes empresas têm necessidade de utilizar. O fato é que a governança de TI é algo completamente adaptável para a realidade de qualquer empresa, e quando alinhado corretamente com as estratégias do negócio, pode causar um impacto direto nos resultados da organização.

Mas afinal, o que é governança de TI?

A governança de TI não é uma norma ou uma metodologia, mas sim um conjunto de melhores práticas sugeridas para garantir a qualidade nos processos de TI.

Alguns dos objetivos da governança de TI são garantir que os serviços oferecidos pelo setor sejam entregues com segurança, bom desempenho, com um suporte de qualidade, e que possa minimizar e prevenir os riscos de incidentes.

A governança de TI deve ser tratada como uma extensão da governança corporativa. Com o avanço das soluções tecnológicas, como a popularização dos Smartphones, conexões com internet mais velozes e novas ferramentas para desenvolvimento de aplicativos, por exemplo, a área de TI passou a fazer parte das estratégias de negócio, tornando-se, muitas vezes, o principal diferencial de uma empresa.

Para a implantação de uma governança de TI, foram criados alguns conjuntos de melhores práticas, conhecidos como Frameworks, que vão ajudar a empresa na organização e documentação de todos os processos.  Os frameworks mais utilizados e específicos para governança de TI são o COBIT e ITIL.

Também é comum encontrarmos empresas que utilizam na governança de TI outros modelos de gestão, como PMBOK, que é um framework para gerenciamento de projetos, e o BSC (Balanced Score Card), que é um modelo de planejamento, que transforma objetivos estratégicos em operacionais.

Como na verdade são conjuntos de melhores práticas, os frameworks são divididos por módulos e podem ser ajustados de acordo com o tamanho e realidade de qualquer empresa. No ITIL, por exemplo, a empresa pode aplicar um modelo de governança apenas para a equipe de suporte, com acordos de SLA, que vão garantir a qualidade no atendimento dentro de um tempo de resposta adequado.

O importante é entendermos o quanto a governança de TI pode impactar diretamente no modelo de negócio da empresa. Veja alguns motivos que levam pequena ou média empresa implantarem estas práticas:

Otimização dos recursos

De um modo geral, uma pequena ou média empresa possui um orçamento mais limitado se comparado a uma grande empresa. Justamente por esse motivo, todos os recursos destinados à área de TI precisam ser otimizados da melhor maneira possível.

Estes recursos precisam garantir a qualidade em todos os serviços que a TI oferece para a empresa.

Nesta situação, a governança de TI pode ajudar a organização a avaliar todas as soluções de acordo com o orçamento disponível e criar os processos adequados para cada serviço oferecido.

Maior impacto

Qualquer incidente pode causar um grande dano em uma pequena ou média empresa. Imagine uma pequena indústria ficar alguns dias sem poder vender produtos, pois ficou sem acesso ao sistema e não pôde emitir nota fiscal; também não havia um plano de recuperação adequado. Ou, imagine uma empresa perder todas suas informações pois o backup não funcionou, desde cadastro de clientes, histórico de vendas e movimentações financeiras.

Este tipo de situação pode ser fatal para uma pequena ou média empresa. A governança de TI possui um conjunto de melhores práticas que vão ajudar a prevenir e minimizar os riscos. E para isto não são necessários grandes investimentos, mas apenas um conjunto de processos que vão garantir a continuidade da operação caso qualquer incidente venha a ocorrer.

Um plano de recuperação vai avaliar todos os riscos que a TI pode causar e qual o impacto de cada risco para a empresa. Dessa forma, é possível definir em quanto tempo é necessário reativar as operações sem causar grande impacto para o negócio.

Diferencial competitivo

As pequenas e médias empresas têm uma grande vantagem em relação às grandes empresas: elas são muito menos burocráticas! E isto faz com que elas consigam inovar e se reinventar em uma velocidade muito mais rápida.

Quando a governança de TI em uma PME está alinhada com as estratégias do negócio, podem ser criados diferenciais competitivos com um impacto muito grande.

A TI pode ajudar uma empresa a se reinventar, e são diversas as possibilidades: empresas de comércio tradicionais podem levar facilmente seus produtos para serem vendidos na internet, podem ser criados aplicativos que interagem com os clientes da empresa, softwares que vão otimizar o controle de produção ou, até mesmo, a forma como a empresa faz seu marketing pode ser reinventada.

As possibilidades são infinitas, mas justamente para que não haja uma perda de foco ou um desperdício de recursos, é fundamental que estas mudanças sejam feitas dentro de um processo de governança de TI sempre alinhado com a governança corporativa.

E você, utiliza alguma prática de governança de TI na sua empresa? Deixe seus comentários!

sercompe_wp4
Posts made: 50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts
You May Also Like